domingo, 27 de maio de 2012

Pintura de Serragem

Pintura de serragem para tapete - Corpus Christi

quarta-feira, 28 de março de 2012

A Visão dos Animais Irracionais

O ANIMAL IRRACIONAL TEM MEDO
E o seu adestrador se irrita.
Os nossos ancestrais faziam o buraco quadrado para que animais silvestres nele caíssem e fossem apanhados. Porque os animais irracionais conhecem os buracos redondos, normalmente feitos pela natureza, daí não cairiam neles. Não reconhecendo, como sendo buracos, os quadrados que vêem no seu plano de visão, nestes eles caem.
Um animal irracional corre até próximo de uma cerca e só então descobre que não consegue passar ali.
Um cavalo saltador só “nega” o obstáculo quando está bem perto dele.
O animal irracional não vê a porteira por onde o homem quer que ele passe, porque ele não consegue calcular a distância existente entre os corpos. Ele vê a imagem sem profundidade, como se estivesse desenhada em um plano opaco.
O homem, ao olhar através da abertura de uma porteira, consegue calcular a distância aproximada entre os corpos que vê: Por experiências anteriores, o homem conhece o tamanho dos corpos. E vendo-os em perspectiva, consegue calcular a distância entre eles. Destarte, por exemplo, o homem sabe que os palanques de uma cerca são praticamente iguais em tamanho, e conclui que o palanque que lhe parece menor é o que está mais longe. Então os animais, racionais ou não, vêem, no seu plano de visão, os palanques em tamanhos inversamente proporcionais às distâncias deles até cada palanque.
Assim, havendo movimento de objetos em relação ao observador (homem ou animal que se movimenta), altera-se, no plano de visão, o tamanho e a posição desses objetos em relação aos demais objetos do plano, o que possibilita ao racional calcular as distâncias (inclusive volume) de cada corpo que vê. Ao irracional tudo resta duvidoso, pois não conseguindo calcular, não conhece as distâncias, não sabe o tamanho dos objetos que estão no seu plano de visão. E fica com medo.
Assim sendo, ao invés de enxotar um animal para que passe em uma porteira, melhor seria que o homem passasse por ela mostrando ao animal sobre a existência da passagem.
Conclusões:
· O animal irracional, quando anda, desloca-se contra um plano, que vê e se move com ele, cujos objetos ali vistos têm as suas distâncias (perspectivas) alteradas conforme a velocidade e o sentido do deslocamento;
· O animal, para que conclua ser possível passar por um local, necessita movimentar-se olhando para o local. Assim vendo o movimento dos objetos ali existentes;
· A aproximação exagerada de um corpo (um pássaro, uma folha, ou mesmo a mão do adestrador) aos olhos de um animal irracional, parece-lhe algo enorme, monstruoso, perigoso, com possibilidade de crescer infinitamente, do que o animal se assusta;
· O animal anda, por confiar plenamente nas experiências por que já passou, podendo, inclusive andar para trás, porém com risco de não conseguir executar cada novo passo;
· Se o homem construir um buraco com formato, diferente dos que o animal conhece por experiência, o animal cairá nele pois não saberia tratar-se de buraco;
· O animal irracional não sabe a velocidade dos objetos que se movimentam em relação a ele, pois não sabe em que distância esses objetos estão.
Escrevi isso por achar interessante.
Agradeço a sua manifestação.Curitiba, PR, 25 de março de 2012.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Reunidos para sempre

Queridos Reúnos
Quando caímos o Próximo pode nos ajudar.
Nas quedas, tudo é vazio. Nem espaço existe. Sem bens, sem alegria, nem tristeza. Nem importância.
Mas, pode acontecer. Tanto pode que acontece. Pode ser melhor, e não acontece. Só pode.
Então, existe o Poder. Desde antes.
E o Poder pode habitar aquilo que pode criar e pode evoluir.
Assim, quando nada mais existe, ainda existe tudo: porque existe o Poder.
E Todos Podem; porque o Poder está em Todos, porque Deus é o Poder.
Pode sim à felicidade de cada um.
Felicidades para todos, porque ninguém é feliz sozinho.
Pensando bem, até por conveniência pessoal, é bom estar aqui, ajudar a todos, como a si mesmo, como Jesus nos ensina, e como forma de ser amado.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012